Morto vivo

Há um corpo triste. Caminha descontinuadamente. Ora para, ora anda, ora estremece. Debate-se nas esquinas, chora, sente. Grita alto, cala-se, faz uma prece. Sozinho, perdido, confuso, ausente. Ausente de si, de esperança, de amor. Queria dizer a alguém, esquece-se. Finge esquecer. Melhor dar uma de louco. Nesse mundo de explicação, é menos sufoco. Fingir estar … Continue lendo Morto vivo

Rima Jurídica

Eu gosto da rima que fala de amor, de justiça, de paz. Gosto da balança equilibrada, do direito nivelado,  do comprometimento que não distingue alguns dos demais. Sonho com um Direito inquieto, com profissionais inquietos  que não se conformam em ficar para trás. Para trás no pensar e no agir.  Para trás no respeito e … Continue lendo Rima Jurídica

Juntos

Amar é se entregar nos braços da felicidade e sorrir. Amar é sentir intensamente e ainda assim rir. Amar é sofrer quando quem amamos está sofrendo, é dividir o peso da dor, da angústia. Amar é acreditar que a vida fica mais doce quando vivida através e com esse sentimento. E é assim que me … Continue lendo Juntos

Mãe

Mãe Quantas vezes, nós filhos esquecemos de agradecer pela mãe que temos? Por tudo que ela faz por nós? Quantas vezes esquecemos de elogiar aquela comida maravilhosa que ela preparou com tanto carinho? Quantas vezes fazemos cobranças indevidas sem analisarmos a nossa atutude? Quantas vezes agimos com ingratidão com aquela que sempre nos dá a … Continue lendo Mãe

Flor no solo espinhento

Talvez a solidão resulte do autoisolamento. Das tardes perdidas no quarto enfatizando o sofrimento. Das noites sem contemplar o céu com inúmeros pensamentos. Esquecendo-se do principal: Nenhum desalento pode ser maior do que o intento de ser flor no solo bom ou espinhento. Por: Raquel Dantas Pluma